Guia de Iniciante: Os Tipos De Orçamento Que Você Precisa Conhecer

O orçamento é uma das etapas mais sensíveis do processo de obra pois, independente do tipo ou do tamanho da obra, uma coisa é fato: o custo é sempre fator decisivo. É por isso que você precisa conhecer os diferentes tipos de orçamento! 

Para garantir o bom relacionamento entre o profissional e o cliente, é preciso dedicar tempo ao controle de custos da obra. Afinal, não há nada pior do que desenvolver aquele projeto perfeito, mas que não cabe no bolso do cliente…

No artigo de hoje você confere 4 tipos de orçamento de obra que todo profissional da construção civil precisa conhecer! 

Orçamento e composição de custos: qual a diferença?

Não importa se você é um engenheiro, arquiteto ou construtor: certamente você já precisou realizar o levantamento de custos para identificar o investimento necessário para tornar aquele projeto em realidade. 

Quando o assunto é identificar os custos de uma obra, existem duas formas comuns de fazer isto. São elas os orçamentos e as composições de custos! 

Ainda que tenham a mesma finalidade, os dois são conceitos diferentes. Enquanto o orçamento de obras é responsável por estabelecer a grandeza dos gastos necessários para a execução de uma edificação, as composições de custos são tabelas que contemplam todos os insumos necessários para a execução de cada serviço (considerando insumos, a quantidade necessária, a unidade de medida, o custo unitário e o custo total). 

Outro ponto importante a ser ressaltado é com relação à importância da assertividade na obra de criar o orçamento de obra. Qualquer erro aqui pode causar problemas graves no futuro, como por exemplo a falta de capital para terminar os serviços planejados e até o desvio de prazos e aumento dos custos. 

Tipos de Orçamento

Na hora de estimar os custos da obra você pode utilizar qualquer uma dessas formas. No entanto, é importante saber que os tipos de orçamento podem variar não só no nível de complexidade, mas também no nível de precisão. Confira a seguir alguns deles! 

Estimativa simples

Para começar a falar dos diferentes tipos de orçamento, vamos começar pela estimativa simples. Neste tipo de orçamento, a ideia é realizar um comparativo entre a obra em questão com outros projetos similares. Isso ajuda a identificar a ordem de grandeza do investimento necessário para realizar a execução da obra.  

Esse tipo de orçamento é realizado com base em índices genéricos, como o CUB (custo unitário básico de construção). Esse indicador permite estimar o custo de uma obra tomando como base a média de custos de acordo com o porte e padrão da obra. 

Estudo de Viabilidade Financeira (EVF)

O EVF é uma espécie de pré-orçamento e serve para que o cliente identifique se o projeto está ou não dentro dos limites financeiros estipulados. Sendo assim, o EVF é realizado na etapa do projeto preliminar e leva em consideração uma estimativa básica dos materiais e mão de obra que serão necessários para a execução do projeto. 

Nesse sentido, quando comparado aos outros tipos de orçamento, o EVF é o menos assertivo. 

Orçamento Analítico

Dentre os diferentes tipos de orçamento, este costuma ser o mais preciso, pois contempla a avaliação dos custos da obra com base no levantamento quantitativo de materiais, mão de obra e também das ferramentas necessárias para executar cada uma das atividades e serviços planejados da obra.

Sendo assim, requer que os projetos básicos estejam todos prontos. Assim é possível garantir o nível de assertividade desejado! 

Os preços de cada uma das variáveis necessárias podem ser retirados de tabelas de referência, como a SINAPI ou por meio de pesquisa de mercado.  

Orçamento Sintético

Já o orçamento sintético consiste em uma espécie de resumo do orçamento analítico, expresso através do levantamento de custos por etapa da obra ou grupos de serviço a serem realizados. Geralmente, toma como base apenas o quantitativo e o valor unitário para cada um dos serviços necessários. 

Tecnologia 

Um software de gestão de obras pode ajudar você a realizar o levantamento de custos da obra de forma prática e assertiva, além de proporcionar uma experiência de usuário mais amigável do que utilizar planilhas como as de programas como o Excel, por exemplo.

Como permitem uma visão global sobre o projeto, fica mais fácil fazer o controle de gastos da obra, pois exibem não só os custos reais da obra, mas também quanto ainda há em caixa. Isso ajuda a evitar erros que podem impactar no andamento da obra! 

Por fim, softwares que são hospedados na nuvem permitem que o cliente consulte o desenvolvimento da obra de qualquer lugar em que estiver, o que contribui para o aumento da confiança e transparência entre o profissional e o cliente.

O melhor de tudo? Não importa qual dos tipos de orçamento você costuma trabalhar, todas essas funcionalidades podem ser encontradas no VEJA OBRA! 

0 visualização0 comentário