Os Erros Para Evitar Na Hora De Calcular o BDI Da Obra

Se você quer conquistar o lucro esperado ao final de cada um dos seus empreendimentos, então é fundamental fazer o cálculo correto do BDI da obra. Afinal, sem considerar os benefícios e despesas indiretas, fica impossível desenvolver um orçamento fiel à realidade.

Não adianta realizar um trabalho excelente na captação de clientes, entregar as obras dentro da qualidade e do prazo estipulados, se isto não se traduzir em lucro ao final de todo o trabalho realizado. 

No entanto, sabemos que fazer o cálculo do BDI pode ser uma tarefa complicada. Por isso, separamos neste artigo os erros que você não pode cometer. Boa leitura! 

A importância do cálculo do BDI da obra

Realizar o cálculo dos custos de uma obra é uma das etapas mais importantes do planejamento da obra. É por meio do cálculo do BDI da obra que você será capaz de estimar os custos necessários para a execução do projeto e, consequentemente, o preço de venda do projeto para o cliente. 

Nesse sentido, não basta somente calcular os custos diretos e indiretos da obra. Também é necessário considerar a margem de lucro que você pretende obter e os custos e despesas indiretas não relacionadas à execução da obra (como administração central, seguros, garantias, tributos, etc.).

Conheça os erros que você precisa evitar ao calcular o BDI da obra

Até aqui você já percebeu que para fazer um orçamento de obras assertivo é necessário considerar uma série de variáveis. A seguir você consegue os piores erros que você evitar na hora de calcular o BDI da obra.

#1 Não conhecer os custos diretos e indiretos da obra

Parece óbvio, mas não é! Negligenciar os custos diretos e indiretos da obra na etapa de planejamento pode causar sérios problemas para a gestão financeira da sua empresa. 

Como são muitos os insumos a serem considerados na hora de desenvolver o orçamento da obra, é comum que os profissionais responsáveis se esqueçam de alguns itens no processo. 

Para acertar em cheio no BDI da obra, uma boa dica é fazer o levantamento de custos da obra com base nas atividades planejadas na etapa do Cronograma da obra. Isso ajuda a identificar todos os insumos necessários em cada uma das fases da obra, evitando assim imprevistos e esquecimentos. 

#2 Não fazer o acompanhamento do orçamento da obra

Você já viu alguma obra que seguiu à risca o que foi definido na etapa do planejamento?

Imprevistos fazem parte do canteiro de obras. Por isso, tão importante quanto dedicar tempo à etapa de planejamento, é dedicar tempo ao acompanhamento e controle da etapa de execução. 

Depois de feito o orçamento da obra, continue acompanhando se todas as especificações estão sendo respeitadas na etapa de execução. Isto é, realize periodicamente o comparativo entre os valores orçados e realizados para se certificar de que os custos da obra estão dentro do planejado. 

Realizar o controle do orçamento é fundamental pois, além de te ajudar a identificar possíveis desvios de rota e corrigir excessos, os seus registros podem servir de lição para projetos futuros. Todo esse cuidado é o que vai garantir o sucesso do BDI da obra! 

#3 Não precificar o seu serviço corretamente 

Talvez este seja o erro mais comum entre os profissionais! É mais comum do que se imagina encontrar profissionais que estão pagando para trabalhar. Por isso, é preciso muita atenção na hora de precificar o seu serviço. 

Estude o mercado na sua região para descobrir qual o valor médio cobrado pelos serviços que você presta. Este é um bom ponto de partida e te ajuda a balizar o seu preço.

Lembre-se também de considerar os custos que você tem para conseguir realizar o seu trabalho, as horas que você leva para executá-lo e, claro, os impostos.

#4 Não calcular impostos 

No Brasil contamos com uma carga tributária extremamente alta. Por isso, não considerar os impostos que incidem sobre o seu serviço na hora de calcular o BDI da obra é um erro grave que pode comprometer o seu lucro ao final do período. 

Por isso, tenha sempre em mente que é necessário considerar os tributos municipais, estaduais e federais na hora de realizar o seu cálculo. 

#5 Não considerar uma margem de erro

Imprevistos fazem parte do dia-a-dia no canteiro de obras. Por isso, não considerar possíveis atrasos e imprevistos no orçamento da obra pode custar caro.

Afinal, como você bem sabe, tempo é dinheiro! Qualquer dia de atraso no cronograma de obra pode significar milhares de reais em prejuízo. Por isso, a dica aqui é sempre incluir uma margem de segurança. 

#6 Não utilizar preços atualizados do mercado 

Este é outro fator que tem influência direto no cálculo do BDI da obra. Não importa se você utiliza uma tabela de referência como a SINAPI ou se faz o seu orçamento com base em pesquisas de mercado. O fato é que se utilizar preços desatualizados, irá sair no prejuízo! 

#7 Não ter informações o suficiente sobre o projeto

Outro erro que pode custar caro é não ter informações o suficiente sobre o projeto. Aqui me refiro à todos os dados do projeto, como área a ser trabalhada, serviços que deverão ser executados, nível de detalhamento, entre outros. 

Sem as informações atualizadas do projeto, as chances de cometer algum erro na hora de estimar os custos da obra são enormes. Afinal, ainda que você utilize os preços atualizados do mercado, pode ser que desconsidere detalhes como: 

  1. Quantidade de materiais 

  2. Profissionais especializados 

  3. Ferramentas necessárias

Sendo assim, é fundamental evitar ruídos de comunicação entre os membros da equipe. 

#8 Utilizar ferramentas manuais para calcular o BDI da obra

Como você viu até aqui, são muitas as variáveis a serem consideradas na hora de fazer o cálculo do BDI da obra. Por isso, é um erro acreditar que você pode usar qualquer ferramenta  para te auxiliar nesse processo! 

É claro que, na teoria, é possível sim utilizar planilhas para realizar esse trabalho. No entanto, qualquer erro de configuração ou digitação pode acabar custando caro, além de transformar o seu trabalho em um verdadeiro pesadelo. 

Com o uso de ferramentas de gestão especializadas é possível automatizar grande parte do processo. Outro ponto positivo é que essas ferramentas permitem que os erros sejam identificados de maneira fácil e ágil, contribuindo para a otimização do tempo da sua equipe. 

Por fim, contar com softwares de gestão como o VEJA OBRA é fundamental para garantir o alinhamento de informação entre todos os envolvidos no projeto. Aqui me refiro tanto às informações dos acontecimentos do canteiro de obras quanto ao escritório. 

Como é um software em nuvem, permite o compartilhamento e atualização da informação em tempo real, evitando assim imprevistos e retrabalhos. 

Agora que você já conhece os erros que deve evitar na hora de calcular o BDI da obra, que tal conhecer um pouco sobre a importância do uso de softwares na gestão da obra

0 visualização0 comentário