Cores na arquitetura: entenda como elas influenciam os ambientes

É provado que a cor tem um forte poder de influência sobre as impressões e percepções das pessoas. Sendo assim, são capazes até mesmo de alterar o estado de espírito de um indivíduo. Elas fazem parte da nossa vida, sendo possível observar cores na arquitetura, no céu, no chão, nas ruas, nos comércios, e até no papel Kraft.

Na arquitetura, as cores possuem um papel especial pois são fator essencial na construção da relação que um indivíduo tem com um ambiente.  

No artigo de hoje você confere as a importância das cores na arquitetura e como elas podem influenciar os ambientes ao nosso redor! 

Como influenciar o ambiente com as cores na arquitetura?

As cores na arquitetura podem produzir inúmeros efeitos, que inclusive podem até ser contraditórios entre si. Dessa forma, é equivocado rotular uma determinada cor para apenas uma finalidade.

Pense em um determinado ambiente com pisos e paredes neutras. Agora imagine se aplicarmos diferentes cores em cada uma de suas superfícies, criando diferentes combinações e provocando efeitos visuais variados. 

Na arquitetura, esses efeitos visuais são estrategicamente trabalhados pelos arquitetos na hora de construir ou reformar. Tudo com a finalidade de desenvolver um ambiente que seja ao mesmo tempo criativo e agradável para aqueles que irão frequentá-lo.

Por exemplo, a cor amarela representa otimismo, jovialidade e euforia, e por isso pode ser usada para estimular atividades intelectuais, a atenção e proatividade. 

Não é à toa que muitos estacionamentos utilizam pintura epóxica em amarelo para sinalização do local, já que ela estimula a atenção. No entanto, é preciso cautela para o uso do amarelo, pois em excesso pode atrapalhar a visão das pessoas. 

Outra cor muito utilizada na arquitetura é o branco, que representa simplicidade, organização, ordem e funcionalidade, estando presente em edifícios modernistas e na fachada das residências.

Já o azul traz uma sensação de frieza, profundidade e confiança, mas também pode transmitir sentimentos como calmaria e tranquilidade, sendo muito utilizado para pintura de quartos em residências.

As cores na arquitetura são uma ótima forma de imprimir personalidade a um ambiente, e por isso a escolha das cores deve ser feita de acordo com as preferências do cliente no momento do briefing de projeto. Porém, é papel do profissional da arquitetura avaliar se a escolha do cliente é a mais adequada em determinado ambiente, já que as cores podem interferir de maneira expressiva nas sensações. 

Regras para o uso das cores na arquitetura

Agora que você já entendeu a importância das cores na arquitetura ou decoração de um ambiente,  o próximo passo é saber como utilizá-las da maneira correta para obter resultados harmônicos.

Seja por meio do uso da tinta comum ou resina epóxi, a escolha das cores corretas depende da harmonização entre elas. Essas harmonias podem ser definidas por meio de regras como as que você confere a seguir: 

1) Regra 30-60-10

Essa regra é uma ótima pedida para trazer um equilíbrio à paleta de cores de um ambiente. Nesse caso, são usadas três cores: um tom dominante que ocupará cerca de 60% do espaço; uma cor secundária e mais vibrante, que poderá ocupar 30% do espaço; e a cor destaque, que fica por conta dos 10% restantes. 

Em geral, para garantir que você irá acertar em cheio na harmonização, os tons dominantes costumam ser cores mais neutras. 

2) Cores quentes vs cores frias

Você certamente já ouviu falar em cores quentes e frias. Essa classificação se refere a sensação transmitida por essas cores na arquitetura, por isso é necessário muita atenção na hora de escolher uma cor para determinado ambiente. 

Opte por cores mais quentes em locais de entretenimento, pois elas trazem a sensação de acolhimento e otimismo. São elas: vermelho, laranja e amarelo, por exemplo.

Por outro lado, nos locais onde é preciso mais atenção e calmaria, opte pelas cores frias. Alguns exemplos são: azul, violeta e verde. 

3) Cores complementares 

Aqui, são selecionadas duas tonalidades que tem um contraste muito forte, o que confere uma boa dose de energia para os espaços. Exatamente por isso, recomendamos que esse esquema de cores seja usado em pequenas quantidades, apenas pensando em destacar um ambiente dos demais. 

4) Cores análogas

Nesse esquema de cores, é preciso escolher duas tonalidades primárias e uma terceira, que será uma mistura das outras duas. Para te ajudar a obter um resultado incrível, você pode aplicar a regra 30-60-10 nas tonalidades escolhidas. 

Ainda pensando na harmonização, é importante considerar as dimensões do ambiente. Isso por que, em ambientes pequenos o uso de cores fortes como o laranja e o vermelho podem ter um efeito de redução ainda maior do espaço. Nesses casos, aposte em cores neutras como o branco e o cinza, que trazem a sensação de expansão do ambiente. 

Em contrapartida, em ambientes maiores a dica é usar cores como azul para dar um toque de tranquilidade e equilíbrio, ou até mesmo o amarelo, capaz de trazer uma sensação quente e agradável. 

Ao contrário do que muitos imaginariam, é possível também utilizar essas duas cores juntas. Isso acontece pois, quando equilibradas, as cores trazem uma sensação de aconchego. 

Cor do ano de 2021

Como você já deve saber, todo ano o Pantone Color Institute define uma cor da cartela pantone como a escolhida do ano. Ao contrário do que aconteceu nos últimos anos, no ano de 2021 foram selecionadas duas cores: o “Illuminating Yellow” e o “Ultimate Grey” – tons mais abertos e iluminados de amarelo e cinza, respectivamente.

A outra vez que isso aconteceu foi no ano de 2016. Assim como acontece na escolha das cores na arquitetura, o Pantone Color Institute justifica que a escolha das cores do ano está diretamente relacionada à psicologia das cores e na forma como elas influenciam as sensações das pessoas. 

Dessa forma, é feita uma pesquisa com base em eventos esportivos, análises socioeconômicas e até as cores que marcam uma cidade para chegar a uma decisão. 

A justificativa pela “dobradinha” de cores foi por conta das mudanças sociais identificadas no ano de 2020, fortemente moldadas pela pandemia do Coronavírus. Essa percepção está amarrada não só a forma como socializamos e viajamos, mas também a adaptação dos nossos padrões de vida. 

A quarentena trouxe reflexões valiosas, como a vontade de adaptação de uma vida mais acelerada para uma vida mais lenta, e também a valorização da qualidade em detrimento da quantidade.

Tudo isso ficou claro com as mudanças de comportamento da população global, marcada pelo fluxo de pessoas mudando da cidade para o campo, e na busca por imóveis do tipo casa. 

Nesse sentido, “Illuminating Yellow”, tom de amarelo escolhido para o ano de 2021, carrega o significado de iluminar o caminho a frente. Sob o mesmo ponto de vista, o “Ultimate Grey”, tom de cinza escolhido, traz o sentido de conforto e segurança – algo que se mostrou necessário desde o início da pandemia global. 

Cores para enriquecer a arquitetura

Se você chegou até aqui, então já entendeu como as cores na arquitetura podem ser um diferencial importante no seu projeto! Utilizando o esquema de cores correto é possível causar sensações relacionadas ao ambiente, além de estimular a mente das pessoas. 

Justamente por isso, toda obra arquitetônica precisa ser planejada e analisada com antecedência. Afinal, é necessário planejamento para que a escolha das cores seja feita de acordo com o resultado estético esperado, e também pensando na harmonia do ambiente.

0 visualização0 comentário